Loading...

Páginas

sábado, 11 de dezembro de 2010

Pastor discute o evangelho da prosperidade na Consciência Cristã 2011

O pastor Ciro Sanches Zibordi é um dos palestrantes da décima terceira edição do Encontro para a Consciência Cristã, que será realizado entre os dias 2 e 8 de março de 2011, em Campina Grande, na Paraíba

O pastor Ciro é da Igreja Assembléia de Deus em Clodovil, Rio de Janeiro. É escritor e articulista com vários textos publicados pela CPAD – Casa Publicadora das Assembléias de Deus, além de autor de vários livros, entre eles, “Perguntas Intrigantes que os Jovens Costumam Fazer”, “Adolescentes S/A”, “Erros que os Pregadores Devem Evitar”, “Evangelhos que Paulo Jamais Pregaria”.
O pastor Ciro Zibordi será o preletor da segunda concentração noturna do evento, na quinta-feira, dia 03, na Representação do Tabernáculo Bíblico. Ele ainda vai ministrar três palestras no 3º Seminário Sobre a Realidade da Igreja Evangélica Brasileira, são elas: O Evangelho experiencialista e místico;

O Evangelho antropocêntrico da prosperidade e O Evangelho legalista e do entretenimento. Esse Seminário é uma realização é da VINACC e será realizado nos dias 6, 7 e 8 de março, na Central de Palestras, uma grande estrutura montada no Parque do Povo, Centro da cidade.

Aurivan Marinho ministra na quarta noite da 13ª edição do Encontro

O pastor Aurivan Marinho é bacharel em Teologia, mestre em Teologia Histórica, Graduado em Filosofia, presidente da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil, Professor de teologia, hermenêutica, missões e filosofia de seminários, principalmente do STEC em Recife - PE e João Pessoa- PB.

O pastor Aurivan Marinho é um dos preletores das grandes concentrações noturnas da 13ª edição do Encontro para a Consciência Cristã, que vai acontecer entre os dias 2 e 8 de março de 2011, na cidade de Campina Grande, na Paraíba.

O pastor Aurivan Marinho vai pregar na noite do dia 5 de março, no sábado, quarto dia do evento, na Representação do Tabernáculo Bíblico, uma grande tenda montada no Parque do Povo, Centro da cidade.

http://www.vinacc.org.br/

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Um olhar sobre o segundo turno

Daqui, da minha janela de eleitor desencabrestado resolvi dar uma olhada e vi um monte de coisas que um monte de gente ainda não viu ou finge não ver.
Eu vi a agonia dos que precisam manter cargos comissionados para sobreviver. E disse aos meus filhos: - Sejam livres, nunca dependam disso!
Eu vi como é bom ser dono de um voto livre, sem ter a desesperada necessidade de dizer aos meus candidatos que eu os escolhi.
Eu vi como o povo encara as eleições de forma passional. Aliás, por aqui, a maioria dos que criticam ou defendem a Bíblia nunca a leu completamente e a maioria dos que discutem política nunca abriu a Constituição.
Eu vi o quanto as massas estão subestimando a importância do Poder Legislativo. Talvez os sucessivos escândalos das últimas décadas tenham desencadeado na cabeça do eleitor a errônea idéia de que todo deputado ou senador é corrupto; e, portanto, tanto faz votar em nenhum ou votar em qualquer um.
Eu vi a dependência existencial e política que a Bolsa Família tem causado em milhões de pessoas. Originalmente concebido como Bolsa Escola, o programa exigia uma contrapartida por parte dos beneficiados, isto é, o compromisso de manter os filhos pequenos estudando. No inicio, tratava-se de um incentivo à educação com propósito e tempo de duração bem definidos. Infelizmente as regras foram mudadas e a idéia é atualmente utilizada com fins eleitoreiros.
Eu vi o mimetismo petista. Cada vez mais distante do partido para o qual pedi votos nos tempos de minha juventude, vejo que O PT já não é mais o mesmo. Hoje, como um camaleão que muda de cor conforme o ambiente, ele mostra incoerência entre seu discurso e prática.
Se por um lado, o atual governo louva e engrandece a democracia e a liberdade de imprensa, por outro lado estreita cada vez mais suas relações com outros governos de ideologia autoritária, como é o caso dos irmãos Castro em Cuba, de Hugo Chávez na Venezuela e de outros mais.

Eu ví o decreto assinado pelo presidente Lula e publicado no DOU - Diário Oficial da União, garantindo que a Secretaria de Administração da Casa Civil da Presidência da República poderá dispor, para cada ex-presidente, de até oito cargos em comissão (Decreto nº 6.381, de 27 de fevereiro de 2008).
No que diz respeito a esse segundo turno, se por um lado, o Partido dos Trabalhadores tem se esforçado durante esta campanha para dizer que defende a vida, por outro lado, vejo que este mesmo partido firmou documento decidindo manter sua posição a favor da liberação do aborto (Resoluções do 3º Congresso Nacional do PT, Página 43).
Finalmente, tenho visto também como os ataques pessoais entre candidatos e a preocupação de apresentar uma conveniente religiosidade de última hora têm servido para disfarçar a ausência de boas idéias nas áreas de segurança pública, saúde, educação, habitação e geração de empregos.

Humberto de Lima - Graduado em Liderança Avançada pelo Haggai Institute (Maui, USA), é bacharelando em Direito pela UEPB – Universidade Estadual da Paraíba e Pastor da IBF – Igreja Batista de Fagundes. Ele escreve semanalmente no HumbertodeLima.com

http://www.vinacc.org.br/

O povo mais rico do mundo

O apóstolo Paulo escreve sua Carta aos Efésios de sua primeira prisão em Roma. Ele já era um homem velho e trazia no corpo as marcas de Cristo. Já havia sido preso em Filipos, Jerusalém e Cesaréia. Como bandeirante do Cristianismo, já havia sido apedrejado, açoitado, fustigado com varas e enfrentado naufrágios e perigos de toda sorte. Agora, o apóstolo estava algemado e preso em Roma, a capital do Império. Ao escrever sua Epístola aos Efésios, longe de reclamar de suas cadeias, ou rogar qualquer alívio do sofrimento, relembra à igreja, quão rico é o povo de Deus. Paulo diz que aqueles que crêem em Cristo são santos e fiéis e detentores tanto da graça como da paz. Para nossa geração embriagada pelas bênçãos e tão apática em relação ao abençoador, Paulo diz que já somos abençoados com toda sorte de bênção em Cristo Jesus. Somos o povo mais rico do mundo. É claro que Paulo não está falando da teologia da prosperidade, reduzindo as riquezas espirituais apenas ao nível material. A Bíblia diz que há ricos pobres e pobres ricos. A verdadeira riqueza não é terrena, é celestial; não é material, é espiritual.
Somos o povo mais rico do mundo, porque somos abençoados com toda sorte de bênção espiritual pelo Deus Pai (Ef 1.4-6), pelo Deus Filho (Ef 1.7-12), e pelo Deus Espírito Santo (Ef 1.13,14). Nossa salvação é uma obra realizada pelo próprio Deus triúno e para a glória do Deus triúno (Ef 1.6,12,14). Quais são essas bênçãos que temos e, que nos torna o povo mais rico do mundo?

1. Nós fomos escolhidos por Deus (Ef 1.4). Não fomos nós que escolhemos a Deus, foi Deus quem nos escolheu. Não fomos nós que amamos a Deus, foi ele quem nos amou primeiro. Deus nos escolheu não porque cremos em Jesus, mas cremos em Jesus porque ele nos escolheu. Deus não nos elegeu porque éramos santos, mas nos elegeu para a santidade. Ele nos escolheu não porque tínhamos boas obras, mas fomos criados em Cristo Jesus para as boas obras. Deus nos escolheu, em Cristo, desde a eternidade, para a salvação não por causa dos nossos méritos, mas apesar dos nossos deméritos.

2. Nós fomos adotados na família de Deus (1.5). Deus não apenas nos livrou da condenação eterna, que os nossos pecados merecem, mas também nos adotou em sua família. Somos filhos de Deus, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo. Temos livre acesso à sua presença por meio de Jesus. O Espírito Santo, agora, habita em nós e nos transforma de glória em glória, na imagem de Cristo, nosso irmão primogênito. Aqui cruzamos vales escuros, pisamos o chão crivado de espinhos pontiagudos, porém, em breve, estaremos na Casa do Pai, no Paraíso, na Cidade Celeste, com corpos glorificados, para reinarmos com Jesus, pelos séculos sem fim.

3. Nós fomos remidos pelo sangue de Cristo (1.7). Deus nos amou e nos resgatou da casa do valente, da potestade de Satanás, do reino das trevas, da masmorra do pecado, mesmo quando éramos fracos, ímpios, pecadores e inimigos. Éramos escravos da carne, do mundo e do diabo quando Deus quebrou as correntes que nos mantinham prisioneiros. Fomos libertos e resgatados. Pelo sangue de Jesus fomos comprados para Deus, para sermos propriedade exclusiva de Deus, e para vivermos para a glória de Deus. Esse resgate não foi mediante ouro ou prata, mas pelo precioso sangue de Jesus!


4. Nós fomos selados com o Santo Espírito da promessa (Ef 1.13,14). Deus Pai nos escolheu e nos adotou em sua família, Deus Filho nos remiu com o seu sangue e, Deus, o Espírito Santo, nos selou como propriedade exclusiva de Deus. Ninguém neste mundo nem no vindouro pode arrancar-nos dos braços de Deus. Estamos seguros e guardados. Temos o selo de Deus. O Espírito Santo, que habita em nós, é o penhor e a garantia de que aquele que começou boa obra em nós, há de completá-la até o dia de Cristo Jesus. Somos ricos, muito ricos; de fato, o povo mais rico do mundo!

Hernandes Dias Lopes

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

VINACC realiza 1° Encontro de pastores e esposas – Numa visão cristocêntrica

A VINACC - Visão Nacional para a Consciência Cristã realiza em Campina Grande, na Paraíba o Encontro para Consciência Cristã, esse evento tem uma programação diversificada composta por eventos paralelos e pelas concentrações noturnas que lotam a Representação do Tabernáculo Bíblico, uma grande estrutura que é montada no Parque do Povo, no centro da cidade.
Para a décima terceira edição da Consciência Cristã, que vai acontecer entre os dias 2 e 8 de março de 2011, a VINACC já confirma 19 eventos paralelos. Uma das novidades do evento este ano é a realização do 1° Encontro de pastores e esposas – Numa visão cristocêntrica, que vai acontecer dentro da programação paralela do Encontro. O coordenador local será o pastor presbiteriano José Salvador Pereira, que inclusive é dos diretores da VINACC.
O 1° Encontro de pastores e esposas – Numa visão cristocêntrica vai ser realizado de 06 a 08 de março de 2011, no Garden Hotel, em Campina Grande. Na ocasião será oferecido um café da manhã a 150 pastores e suas respectivas esposas, posteriormente serão ministradas palestras com o Reverendo Augustus Nicodemos Lopes, chanceler da Universidade Mackenzie - SP.
Nesse Encontro, o reverendo presbiteriano Augustus Nicodemus, vai ministrar os seguintes temas: Plenitude do Espírito e família; Sexo, divórcio e novo casamento; Os papéis do homem e da mulher.

Izabel Silva

Confirmado o 7º Seminário de Louvor e Adoração

Em 2011 acontecerá a 13ª edição do Encontro para a Consciência Crista. Esse evento a cada ano cresce e conquista mais reconhecimento na cidade de Campina Grande – Paraíba, onde é realizado. Umas das fortes características do Encontro são os eventos paralelos.
Em 2011 a VINACC- Visão Nacional para a Consciência Cristã promove 19 eventos paralelos, entre eles está o 7º Seminário de Louvor e Adoração, esse seminário todos os anos lota a ilha de palestra e é um dos eventos mais procurados do Encontro.
Assim como vem acontecendo em edições anteriores da Consciência Cristã, a cantora campinense Socorro Teles será a palestrante desse Seminário, que tem como coordenadora a também cantora e missionária Gleydice Bernardes, da Igreja Ação Evangélica, de Campina Grande. O 7º Seminário de Louvor e Adoração é uma realização do SETEBRAE – CG/PB e será realizado entre os dias 6 e 8 de março de 2011.
Socorro Teles estará abordando os seguintes temas: A banalização da Música Evangélica; Considerações sobre Adoração ; Caráter do músico, ritmos, conteúdo e O Envolvimento grupo de louvor na vida da Igreja.
Qualquer participação no Encontro para a Consciência Cristã assim também como em qualquer uma de seus eventos paralelos é gratuita e aberta ao público em geral.

Izabel Silva

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Eleições 2010 - Pr. Euder Faber - 2° turno

Pastor Euder Faber lança carta e vídeo sobre as eleições 2010

Temas como descriminalização do aborto e casamento homossexual nunca foram tão influentes na escolha do voto. Nessa eleição a Igreja seja ela evangélica ou católica estão tendo a maior participação já vista em uma disputa democrática eleitoral.

Vários líderes cristãos, entre pastores, padres, a exemplo do Pr. Paschoal Piragine e Bispos do Regional Sul 1 se posicionaram na mídia, principalmente através da internet sobre as eleições. Esses líderes reivindicam dos candidatos um maior compromisso com os valores cristãos que envolvem a vida, a família, a liberdade de expressão entre outros pontos, os quais segundo eles estão ameaçados principalmente pelo Partido dos Trabalhadores PT, cuja candidata a presidência da República, Dilma Rousseff simpatiza e defende tais causas consideradas por eles como ameaças a Igreja e aos valores cristãos.

E nesse contexto que o pastor Euder Faber Guedes Ferreira, de Campina Grande - PB, também incomodado com os atuais projetos de leis que estão para ser votados, entre eles o PNHD 3 – Plano Nacional dos Direitos Humanos - 3, que já foi aprovado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, passou pela Casa Civil, quando a candidata Dilma era chefe e só precisa da aprovação do Congresso para se estabelecido, lança uma carta e um vídeo de conscientização não apenas à comunidade evangélica, mas a todos os brasileiros para que esses desenvolvam uma consciência crítica e informada dos regimentos que regem e pretendem ser instaurados no país.

Entre os temas que o pastor Euder discute está o Estatuto das famílias, a Lei da Palmada, a instalação de Máquinas de camisinha nas escolas, o Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBT, a criminalização da homofobia entre outros assuntos.

Segundo o pastor Euder, a discussão e ampliação de debates com esses temas são de fundamental importância, pois dá ao cidadão o direito de conhecer de perto a ideologia dos partidos e candidatos, onde isso ajudará a fazer uma escolha aberta e consciente dos seus representantes.

Leia a Carta na íntegra

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Lógica do abortismo

Por Olavo de Carvalho

O aborto só é uma questão moral porque ninguém conseguiu jamais provar, com certeza absoluta, que um feto é mera extensão do corpo da mãe ou um ser humano de pleno direito. A existência mesma da discussão interminável mostra que os argumentos de parte a parte soam inconvincentes a quem os ouve, se não também a quem os emite. Existe aí portanto uma dúvida legítima, que nenhuma resposta tem podido aplacar. Transposta ao plano das decisões práticas, essa dúvida transforma-se na escolha entre proibir ou autorizar um ato que tem cinqüenta por cento de chances de ser uma inocente operação cirúrgica como qualquer outra, ou de ser, em vez disso, um homicídio premeditado. Nessas condições, a única opção moralmente justificada é, com toda a evidência, abster-se de praticá-lo.

À luz da razão, nenhum ser humano pode arrogar-se o direito de cometer livremente um ato que ele próprio não sabe dizer, com segurança, se é ou não um homicídio. Mais ainda: entre a prudência que evita correr o risco desse homicídio e a afoiteza que se apressa em cometê-lo em nome de tais ou quais benefícios sociais hipotéticos, o ônus da prova cabe, decerto, aos defensores da segunda alternativa. Jamais tendo havido um abortista capaz de provar com razões cabais a inumanidade dos fetos, seus adversários têm todo o direito, e até o dever indeclinável, de exigir que ele se abstenha de praticar uma ação cuja inocência é matéria de incerteza até para ele próprio.

Se esse argumento é evidente por si mesmo, é também manifesto que a quase totalidade dos abortistas opinantes hoje em dia não logra perceber o seu alcance, pela simples razão de que a opção pelo aborto supõe a incapacidade - ou, em certos casos, a má vontade criminosa - de apreender a noção de "espécie". Espécie é um conjunto de traços comuns, inatos e inseparáveis, cuja presença enquadra um indivíduo, de uma vez para sempre, numa natureza que ele compartilha com outros tantos indivíduos. Pertencem à mesma espécie, eternamente, até mesmo os seus membros ainda não nascidos, inclusive os não gerados, que quando gerados e nascidos vierem a portar os mesmos traços comuns. Não é difícil compreender que os gatos do século XXIII, quando nascerem, serão gatos e não tomates.

A opção pelo abortismo exige, como condição prévia, a incapacidade ou recusa de apreender essa noção. Para o abortista, a condição de "ser humano" não é uma qualidade inata definidora dos membros da espécie, mas uma convenção que os já nascidos podem, a seu talante, aplicar ou deixar de aplicar aos que ainda não nasceram. Quem decide se o feto em gestação pertence ou não à humanidade é um consenso social, não a natureza das coisas.

O grau de confusão mental necessário para acreditar nessa idéia não é pequeno. Tanto que raramente os abortistas alegam de maneira clara e explícita essa premissa fundante dos seus argumentos. Em geral mantêm-na oculta, entre névoas (até para si próprios), porque pressentem que enunciá-la em voz alta seria desmascará-la, no ato, como presunção antropológica sem qualquer fundamento possível e, aliás, de aplicação catastrófica: se a condição de ser humano é uma convenção social, nada impede que uma convenção posterior a revogue, negando a humanidade de retardados mentais, de aleijados, de homossexuais, de negros, de judeus, de ciganos ou de quem quer que, segundo os caprichos do momento, pareça inconveniente.

Com toda a clareza que se poderia exigir, a opção pelo abortismo repousa no apelo irracional à inexistente autoridade de conferir ou negar, a quem bem se entenda, o estatuto de ser humano, de bicho, de coisa ou de pedaço de coisa.

Não espanta que pessoas capazes de tamanho barbarismo mental sejam também imunes a outras imposições da consciência moral comum, como por exemplo o dever que um político tem de prestar contas dos compromissos assumidos por ele ou por seu partido. É com insensibilidade moral verdadeiramente sociopática que o sr. Lula da Silva e sua querida Dona Dilma, após terem subscrito o programa de um partido que ama e venera o aborto ao ponto de expulsar quem se oponha a essa idéia, saem ostentando inocência de qualquer cumplicidade com a proposta abortista.

Seria tolice esperar coerência moral de indivíduos que não respeitam nem mesmo o compromisso de reconhecer que as demais pessoas humanas pertencem à mesma espécie deles por natureza e não por uma generosa — e altamente revogável — concessão da sua parte.

Também não é de espantar que, na ânsia de impor sua vontade de poder, mintam como demônios. Vejam os números de mulheres supostamente vítimas anuais do aborto ilegal, que eles alegam para enaltecer as virtudes sociais imaginárias do aborto legalizado. Eram milhões, baixaram para milhares, depois viraram algumas centenas. Agora parece que fecharam negócio em 180, quando o próprio SUS já admitiu que não passam de oito ou nove. É claro: se você não apreende ou não respeita nem mesmo a distinção entre espécies, como não seria também indiferente à exatidão das quantidades? Uma deformidade mental traz a outra embutida.

Aristóteles aconselhava evitar o debate com adversários incapazes de reconhecer ou de obedecer as regras elementares da busca da verdade. Se algum abortista desejasse a verdade, teria de reconhecer que é incapaz de provar a inumanidade dos fetos e admitir que, no fundo, eles serem humanos ou não é coisa que não interfere, no mais mínimo que seja, na sua decisão de matá-los. Mas confessar isso seria exibir um crachá de sociopata. E sociopatas, por definição e fatalidade intrínseca, vivem de parecer que não o são.

Fonte: Mídia Sem Máscara

Dia dos mortos? Estou fora. E você?

Infelizmente em nosso país, milhões de brasileiros, das classes sociais mais distintas, de todos os estados da federação, cultivam o danoso hábito de visitarem os cemitérios na expectativa de rezar ou interceder pelos seus entes falecidos.
A prática de orar pelos defuntos iniciou-se por volta do 5º século (d.c), quando a igreja passou a dedicar um dia especifico do ano para rezar pelos seus mortos. No entanto, o culto de finados somente seria instituído na França, no século X, através de um abade beneditino de nome Cluny. Um século depois, os papas Silvestre II (1009), João XVII (1009) e Leão IX (1015) obrigaram aos fiéis a dedicarem um dia inteiro aos mortos. Já no século XIII o dia de rezar pelos finados finalmente começou a ser celebrado em 2 de novembro. Essa data foi definida por ser um dia depois da comemoração da Festa de Todos os Santos, onde se celebrava a morte de todos que faleceram em estado de graça e que por algum motivo não foram canonizados.
Caro leitor, a Bíblia é absolutamente clara ao afirmar que após a morte só nos resta o juízo. Ensina também, que o fato de toda e qualquer decisão por Cristo só pode ser tomada em vida, o que, por conseguinte, nos leva a entender de que não existe fundamento teológico para interceder a favor dos mortos.
Para os católicos romanos a referência bíblica que fundamenta esta prática encontra-se em 2 Macabeus 12.44. Entretanto, nós protestantes, não reconhecemos a canonicidade deste livro e nem tampouco a legitimidade desta doutrina, uma vez que o Protestantismo não se submete às tradições católicas e sim as doutrinas das Sagradas Escrituras.
Segundo a interpretação protestante, a Bíblia nos diz que a salvação de uma pessoa depende única e exclusivamente da sua fé na graça salvadora que há em Cristo Jesus e que esta fé seja declarada durante sua vida na terra (Hebreus 7.24-27; Atos 4.12; 1 João 1.7-10) e que, após sua morte, a pessoa passa diretamente pelo juízo (Hebreus 9.27) e que vivos e mortos não podem comunicar-se de maneira alguma (Lucas 16.10-31).
Ora, do ponto de vista bíblico é inaceitável acreditar que os mortos estejam no purgatório ou no limbo aguardando uma segunda oportunidade para a salvação. Em hipótese alguma nós como cristãos devemos celebrar ou participar de culto aos mortos, antes pelo contrário, fomos e somos chamados a anunciar aos vivos a vida que somente podemos experimentar em Cristo Jesus.

Soli Deo gloria


Consciência Cristã 2011 confirma mais um preletor

A VINACC – Visão Nacional para a Consciência Cristã já tem confirmado praticamente todos os palestrantes da 13ª edição do evento, que será realizada entre os dias 2 e 8 de março de 2011, no Parque do Povo, centro de Campina Grande, Paraíba.
Entre os preletores que irão ministrar nos eventos paralelos que compõe a programação do Encontro está confirmada a presença do editor chefe da Revista Apologética, Jamierson Oliveira.
Revista Apologética é um periódico com circulação nacional, que também ter versão online http://www.revistaapologetica.com.br. A revista trabalha com reportagens diversas, estudos bíblicos, entre vários outros conteúdos.
O Encontro para a Consciência Cristã é um evento que se diferencia no calendário dos eventos da cidade, além de alcançar diversas facetas da sociedade, como atrair turistas à Campina Grande, aumentando assim o fluxo no comércio e na rede hoteleira da cidade, o evento, segundo a sua coordenação geral tem como objetivo principal exaltar a pessoa de Cristo, anunciar o evangelho, proclamar a fé cristã e edificar a Igreja.
Qualquer participação no evento é gratuita e aberta ao público em geral.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Gilson Diferrari discute a Saúde da Família na Consciência Cristã 2011

O Encontro para a Consciência Cristã tem em sua pauta de discussão temas de forte viés no cenário social, eclesial e familiar. Todos os anos a VINACC – Visão Nacional para a Consciência Cristã, entidade que realiza o evento, traz a Campina Grande, na Paraíba, especialistas reconhecidos em cada assunto debatido.
A 13ª edição da Consciência Cristã, que será realizada entre os dias 2 e 8 de março de 2011 promove o VI Fórum Campinense Para Uma Família Sadia, para ministrar esse Fórum a VINACC convidou o casal Gilson Diferrari e Eliane Diferrari, ambos da Editora Kurios, de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul. Esta será a quarta vinda do casal ao Encontro.
Gilson e Eliane Diferrari são da Igreja Assembléia de Deus de Passo Fundo - RS. O casal Diferrari esteve na última edição do evento, que aconteceu nos mês de fevereiro, onde junto com o pastor Luiz Vieira, da Igreja Cristã Nova Vida, de Campina Grande ficaram a frente do V Fórum Campinense para uma Família Sadia.
Em 2010, o casal apresentou para o numeroso público que compareceu ao Fórum temas como: Como Fortalecer a Relação Conjugal Durante a Crise e O que Toda Mulher Espera de um Esposo Cristão, ministrados por Gilson. Já Eliane ministrou: Treinando Nossos Filhos para Serem Felizes e O Que Todo Homem Espera de Uma Esposa Cristã.
A participação no Encontro para a Consciência Cristã é gratuita e aberta ao público em geral. O evento acontece no complexo do Parque do Povo, centro de Campina Grande – PB, numa grande estrutura denominada de Representação do Tabernáculo Bíblico.

Da redação

O Cristão e a Política

Hoje é um dia extremamente importante na vida da sociedade brasileira, dia esse em que, numa das mais significativas modalidades de exercício da cidadania, o povo brasileiro irá, pela instrumentalidade do voto, eleger os seus legítimos representantes: Deputados Estaduais, Deputados Federais, Senadores, Governadores e Presidente da República. É um dia de festa, celebração cívica das liberdades individuais, indisputável prerrogativa do estado de direito, amplamente assegurado por nosso ordenamento jurídico maior: a Constituição Federal.
Ao longo de toda a sua história, cuja cronologia atinge a jovem idade de pouco mais de cinco séculos, o Brasil viveu, no território político, angustiantes momentos de obscurantismo, até o instante em que a democracia se estabeleceu de forma definitiva, com o fortalecimento das suas instituições. Celebremos, portanto, o privilégio de poder escolher democraticamente as autoridades que irão nos governar.
Hoje é um dia, de igual modo, de séria reflexão, principalmente por parte daqueles que, resgatados por Jesus Cristo da escravidão do pecado, foram chamados para ser a luz do mundo e o sal da terra, testemunhas vivas do grande e transformador poder que há no evangelho da graça de Deus.
Considerando que o voto concedido tem grandes conseqüências para a vida da sociedade, é necessário que, na condição de crentes em Jesus Cristo, submetamos o nosso ato cívico ao crivo de uma maturada e bíblica reflexão acerca dos predicativos daqueles a quem estamos pensando em constituir como os nossos representantes. Devemos de modo criterioso e em humilde atitude de oração, examinar a vida dos candidatos em quem pretendemos depositar o nosso voto, tradução inequívoca da confiança que temos em sua capacidade de ação política e compromisso ético de fazer do mandato conquistado um instrumento de promoção do bem comum, e não um trampolim para o enriquecimento ilícito.
Aqui, a motivação do voto que vamos conferir deve ser rigorosamente avaliada à luz dos elevados e santos padrões que regem o reino de Deus: justiça, bondade, misericórdia, amor, dentre outros tantos que refletem o caráter de um Deus santo e que não exige do seu povo, em todos os segmentos da vida, nada menos que santidade. Para tanto, ele nos concedeu a mediação perfeita do seu Filho, a habitação santificadora do seu Espírito em cada um de nós e, por fim, a orientação segura da sua normativa, inerrante, infalível, inspirada e suficiente Palavra.
Nesse aspecto, devemos fazer do nosso voto um ato santo, que busca, prioritariamente, a glória de Deus, ao postular a eleição de quem verdadeiramente buscará transformar a sua atuação política em uma intransigente defesa e prática de um serviço republicano a favor de todos, notadamente dos mais fracos, dos que sofrem mais, dos deserdados de tudo. Quando votamos de costas para esses princípios emanados da Palavra de Deus, dando prioridade aos nossos egoísticos interesses (emprego, de preferência aqueles nos quais recebemos sem realizar qualquer tipo de trabalho, e outras vantagens circunstancialmente oferecidas), pecamos contra Deus, contra o nosso próximo e, ato contínuo, tornamo-nos tão corruptos quanto aqueles a quem vendemos as nossas consciências.
E, aqui, é conveniente destacarmos que a assertiva, segundo a qual irmão vota em irmão, muitas vezes, não passa de uma falácia competentemente arquitetada pelos que, em época de eleição, transformam os rebanhos evangélicos, com a anuência de líderes interesseiros e mal intencionados, verdadeiros lobos em pele de cordeiro, em verdadeiras massas de manobra, facilmente enredadas por toda espécie de manipulação. Muitos são os que, dizendo-se irmão, dão péssimo testemunho, não possuem vida efetiva nas igrejas das quais dizem fazer parte, e nas quais somente aparecem, cinicamente, para buscar o voto.

Hoje é um dia de oração. Um dia em que devemos, de modo especial, orar pelo país e pelas autoridades constituídas. Orar pelo país e pelas autoridades constituídas não é uma opção para a igreja de Cristo, mas um mandamento do Senhor. Devemos orar pelas autoridades a fim de que elas tenham o tirocínio necessário para governar com justiça e em favor do bem comum. E, também, conforme doutrina o apóstolo Paulo, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, sem o concurso de perseguições odientas que venham a obstaculizar a marcha e o progresso do evangelho, no tocante ao exercício, por parte da igreja, da sua desimpedida proclamação.
Hoje é um dia para, de modo mais concreto, desfazermos falsos conceitos insistentemente dominantes em algumas searas evangélicas, sendo um deles o que assevera que a atividade política pertence ao diabo, não devendo o cristão, em nenhuma hipótese, se envolver com ela. Ora, quem raciocina dessa maneira ignora, por puro desconhecimento das Escrituras Sagradas, o mandato cultural outorgado por Deus ao homem no ato original da criação. Crescer, multiplicar-se e administrar a terra, eis a ordem dada por Deus aos nossos primeiros pais.
Dentro desse contexto, estava, implícita, a atividade política, à luz da qual os homens buscariam engendrar modalidades governamentais capazes de promover uma vida comunitária harmoniosa, coesa, em condições de satisfazer às necessidades mais prementes de todos. Abster-se, radicalmente, da política, significa, de igual modo, não levar em conta a manifestação da graça comum de Deus, a qual, derramada sobre todos os homens, volta-se, entre outras, para todas as esferas da desbordante vida cultural das sociedades, dentro da qual a política pontifica como uma das mais relevantes.
Embora a tradição reformada reconheça que somente pode haver radical transformação na sociedade quando o homem, que a habita, experimenta o poder regenerador do Espírito Santo, ela não fecha os olhos para os melhoramentos sócio –econômico – político - culturais advindos de governos e de ações emanadas da sociedade civil que, estribados nos princípios bíblicos da justiça social, caminham em favor da promoção do bem comum.
Basta nos recordarmos, como lapidares exemplos do que estamos asseverando, de João Calvino em sua ampla ação político – pedagógica - espiritual na cidade de Genebra, e de Wilberforce em sua ingente luta contra o flagelo da escravidão na Inglaterra do século dezenove, para nos darmos conta de que somos chamados para glorificar a Deus em todas as coisas que fazemos, inclusive na seara da política, uma das mais nobres atividades humanas, dentre as muitas que integram as civilizações; nobre porque emanada do Deus santo das Escrituras Sagradas.
Hoje é, por fim, um dia de participação cidadã. Uma cidadania plena não se esgota apenas no ato do voto. É necessária que a ele se acresça uma consciência vigilante capaz de acompanhar os passos daqueles a quem, democraticamente, conferimos um poder transitório. Agir de forma contrária é dar atestado de alienação política e de insciência bíblica.
O cristão, salvo por Jesus Cristo e feito morada definitiva do Santo Espírito de Deus, tem a mente do Filho de Deus e é guiado pela suficiência das Escrituras Sagradas. Todo o seu sistema de pensamento e de ação deve estar moldado pela Palavra de Deus. No ato de votar, não deve ser diferente. Que no dia de hoje, ao entrarmos na cabine para o exercício do voto, o façamos na dependência e orientação do Senhor, buscando, em primeiro lugar, a sua glória e, depois, o bem daqueles que foram criados à sua imagem e semelhança.

José Mário da Silva - Presbítero da Igreja Presbiteriana do Brasil – CG/PB

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Vinacc lança carta aberta sobre Eleições

VISÃO NACIONAL PARA A CONSCIÊNCIA CRISTÃ



Campina Grande – PB

CARTA ABERTA E MANIFESTO À SOCIEDADE BRASILEIRA, ÀS DENOMINAÇÕES EVANGÉLICAS E LÍDERES CRISTÃOS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

A VINACC – Visão Nacional para a Consciência Cristã – vem através do presente expediente de caráter declarativo, informativo, denunciativo e de conclamação nacional, com fulcro nos princípios basilares da fé cristã, estabelecidos, absolutamente, nas Escrituras Sagradas e conjunto de regras inalienáveis, irrevogáveis e eternas, de fé e prática, assim como também, fundamentada nos princípios constitucionais elementares da liberdade de manifestação do pensamento, da liberdade de consciência e crença, da liberdade de comunicação e informação, da plena liberdade de associação, – todos insculpidos no art. 5º da Constituição Federal de 1988 – apresentar-lhes, para reflexão, no que diz respeito ao Processo Eleitoral de 2010, onde teremos eleições para os cargos majoritários e proporcionais, o que adiante se explicita:
1º) Com o advento da Resolução nº 22.733/2008 do TSE – com a tese da chamada (In)fidelidade Partidária – o sistema eleitoral brasileiro acabou por implementar, na prática, o fenômeno da despersonalização do voto e sua consequente delineação ideológica, ou seja, a partir dessas eleições, mais do que nunca, cada eleitor votará NÃO EM UM CANDIDATO, mas em UM PARTIDO POLÍTICO e nas suas ideologias.
2º) Na prática, isso significa que nós, cristãos, ao votarmos, deveremos ter o cuidado de saber se a ideologia do partido do candidato escolhido é cristã ou anticristã. Porque, por exemplo, se um candidato com valores cristãos pertence a um partido abertamente contrário a valores cristãos e que, mais que isso, como agremiação partidária, não permite que o político filiado tenha atuação baseada no princípio da liberdade de consciência, ele – o político – poderá vir a ser enquadrado, disciplinarmente, pelo Partido, podendo ser, inclusive, expulso. E, assim, como o mandato é do partido e não do candidato, conforme preceitua a Resolução retrocitada do TSE, nós, eleitores cristãos, ficaremos sem a devida representação, até porque o partido poderá relegar o filiado a uma posição inexpressiva, forçando-o à desfiliação. É de se ressaltar que o Art. 1º, § 1º da Resolução do TSE só permite a desfiliação justificada ou mudança partidária em apenas quatro casos[1], entre os quais não está a liberdade de consciência.

3º) Tomando como pressupostos as premissas anteriormente explicitadas e analisando os programas partidários e plataformas governamentais de vários partidos que disputam as Eleições em 2010, como, por exemplo, PT[2], PCB[3], PV[4], PDT[5], PSTU[6], PC do B[7], PSOL[8] e PCO[9], vemos, claramente, que tais partidos, têm estabelecido em documentos oficiais, a promoção de valores anticristãos – como a defesa do aborto, a promoção de todas as práticas sexuais contrárias à Palavra de Deus e da chamada cultura Queer (teoria que afirma que a orientação sexual e a identidade sexual ou de gênero da pessoa são o resultado de uma construção social e que, portanto, o que existem são formas socialmente variáveis de desempenhar um ou vários papéis sexuais), assim como a promoção de valores antidemocráticos que comprometem as liberdades fundamentais do cidadão. Tanto é assim, que nos últimos oito anos, muitos desses partidos apoiaram proposições legislativas que ferem a Palavra de Deus e os direitos e garantias fundamentais consagrados na Constituição Federal[10].
Além disso, tais partidos exigem que todos os políticos filiados atuem, apoiando, promovendo e votando as políticas e ideologias partidárias, não importando a liberdade de consciência do mandatário eleito, sob pena de ser enquadrado, disciplinarmente, pelo Partido, podendo ser, inclusive, expulso.
4º) Diante do exposto, a VINACC – Visão Nacional para a Consciência Cristã –, tendo em vista as razões aludidas, especialmente, no tocante à tese de que, a partir dessas eleições, o eleitor vota em Partidos e Coligações e não em Candidatos, CONCLAMA às Denominações Evangélicas, Líderes Cristãos e Cristãos da República Federativa do Brasil que:
4.1 – Procurem conhecer os Estatutos e programas de governo dos partidos envolvidos nas eleições (mesmo aqueles que não estejam apresentando candidatos, mas estejam coligados com os principais), observando, sobretudo, se suas propostas ferem, ou não, os princípios insculpidos na Bíblia Sagrada;

4.2 Ao votarem, não votem em candidatos que pertençam a partidos que tenham programas de governo contrários à Palavra de Deus – mesmo que o candidato escolhido tenha perfil que se coaduna com o cristianismo;

4.3 – Divulguem nas suas denominações e igrejas essas informações para que o povo não venha a votar erradamente por desconhecimento dessas realidades.

4.4 – Que, por assim ser, não permitam que o nosso país institucionalize – como afirmou o Pr. Paschoal Piragine, da Primeira Igreja Batista de Curitiba[11] – ainda mais a iniquidade, promovendo políticas públicas reconhecidamente anticristãs como a promoção do aborto, das práticas sexuais contrárias à Palavra de Deus, do cerceamento da liberdade de pensamento, da liberdade religiosa, da liberdade de imprensa, de enfraquecimento dos valores da família natural, entre tantos outros males morais e sociais.

Pr. Euder Faber Guedes FerreiraPresidente da VINACC
--------------------------------------------------------------------------------
[1]Consulte o texto da resolução no site da VINACC

[2]Cf.: Resoluções do 3º Congresso do PT:

http://www.pt.org.br/portalpt/dados/bancoimg/c091207134809Resolucoesdo3oCongressodoPT.pdf

Plano de Governo do PT:

http://www.pt.org.br/portalpt/dados/bancoimg/c091003193431plano_governo.pdf

Estatuto do PT:

http://www.pt.org.br/portalpt/dados/bancoimg/c091003181315estatutopt.pdf
Código de Ética do PT:

http://www.pt.org.br/portalpt/dados/bancoimg/c100622120812CODIGODEETICADOPT.pdf

[3]Cf.: Resoluções do XVI Congresso do PCB, 2010:

http://pcb.org.br/portal/resolucoes/EstrategiaeTatica.pdf

Manual de Organização Partidária:

http://pcb.org.br/portal/docs/manual.pdf

[4]Cf.: Estatuto e Programa do PV:

http://partidoverde.achanoticias.com.br/interna_estatuto.shtml

http://partidoverde.achanoticias.com.br/interna_programa.shtml

[5]Cf: Estatuto do PDT:

http://pdt12.locaweb.com.br/paginasmenu.asp?id=5

[6]Cf.: Manifesto do PSTU:

http://www.pstu.org.br/cont/manifesto16.pdf

[7]Programa de Governo do PC do B:

http://vermelho.org.br/pcdob/12Congresso_2009/programasocialista_final_dez2009.pdf

[8] Estatuto do PSOL:

http://psol50.org.br/files/2010/03/Estatuto-PSOL-Registrado-1.pdf

Programa de Governo do PSOL:

http://www.plinio50.com.br/programa-de-governo-psol-plinio-de-arruda-sampaio.html

[9] Programa do PCO:

http://www.pco.org.br/pco/programa.htm

[10]Exemplos: PL 122/2006 (Senado), Relatoria da Senadora Fátima Cleide PT/RO, ementa: Determina sanções às práticas discriminatórias em razão da orientação sexual das pessoas; PL 287/2003 (Câmara), Relatoria José Eduardo Cardozo PT/SP, ementa: Dispõe sobre o crime de rejeição de doadores de sangue resultante de preconceito por orientação sexual; PL 379/2003 (Câmara), Relatoria Dep. Fátima Bezerra PT/RN, ementa: Institui o dia nacional do orgulho gay e da consciência homossexual; PEC 66/2003 (Câmara), Relatoria Dep. Maria do Rosário PT/RS, ementa: Proíbe a diferença de salários e de exercício de função e de critério de admissão por motivo de discriminação por orientação e expressão sexual (...); PEC 392/2005 (Câmara), Relatoria Dep. Paulo Pimenta PT/RS, ementa: Estabelece entre os objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil a inexistência de preconceito em relação a orientação sexual (...); PL 6418/2005 (Senado), Autoria Senador Paulo Paim PT/RS, ementa igual a do PL/122/2006; PL 2000/2007 (Câmara), Autoria Dep. Cida Diogo PT/RJ, ementa: Cria o Dia da Visibilidade Lésbica; PL 2976/2008 (Câmara), Autoria Dep. Cida Diogo PT/RJ, ementa: autorização para os travestis utilizarem o nome de guerra ao lado do nome oficial, mesmo sem cirurgia de mudança de sexo; PL 3712/2008 (Câmara), Autoria Dep. Maurício Rands PT/PE, ementa: Inclui na situação jurídica de dependente para fins tributários, o(a) companheiro(a) homossexual do(da) contribuinte do Imposto de renda de pessoa física. PL 6297/2005 (Câmara), Autoria Dep. Deputado Mauricio Rands PT/PE, ementa: Permite a inclusão de parceiro homossexual entre os dependentes de funcionário público federal. PL 4914/2009, proposto pela bancada de sustentação do Governo, ementa: propõe o reconhecimento da união estável de pessoas entre o mesmo sexo.
[10] Exemplos: PL 1135/91, Autoria Dep. Sandra Starling PT/MG, ementa: Descriminaliza o aborto no Brasil e autoriza sua prática até 9º mês de gestação. Foi apensado a este último o PL 176/95 de autoria do Dep. José Genoíno PT/SP que autoriza o aborto até a 24ª semana; PL 4403/2004, autora: Dep. Jandira Feghali PCdoB/RJ, ementa: Isentando de pena a prática de "aborto terapêutico" em caso de anomalia do feto, incluindo o feto anencefálico, que implique em impossibilidade de vida extrauterina; PL 4834/2005, Autoria Dep. Luciana Genro PSOL/RS, Ementa: Altera o Artigo 128 do Código Penal, isentando de punição o aborto quando o feto é anencefálico; PLS 227/2004, Autor: Sen. Mozarildo Cavalcanti PTB/RR, Ementa: Altera o art. 128 do Decreto-Lei nº. 2.848/1940, Código Penal, para não punir a prática do aborto reaizado por médico em caso de anencefalia fetal. PL 3673/2008, Autoria Dep. Pompeu de Matos PDT/RS, Ementa: Reduz a pena de detenção para um ou dois anos em caso de crime de aborto. Foi apensado, este último, ao PL 2433/2007, Relatoria Dep. Marcelo Serafim PSB/AM. E mais os PLs sobre esterilização, fecundação in vitro, transferência de pré-embriões, transferência intratubária de gametas, crioconservação de embriões e a gestação de substituição, a conhecida “barriga de aluguel”: PL 1184/2003, PL 3067/2008, PL-2855/1997, PL 207/2003, PL 7438/06,PL 3326/2008 (reduz de 21 para 18 anos a idade mínima para esterilização).
[10] Exemplos: PL 674/2007, Autoria Dep. Vacarezza PT/SP, ementa: reconhece como entidade familiar a união estável entre duas pessoas e institui o divórcio de fato. PL 1779/2003, Autor Dep. Giácobo PL/PR, ementa: Altera o Código Civil que dispõe sobre união estável. PEC 413/2005, Autoria Dep. Antonio Carlos Biscaia PT/RJ, ementa: altera a Constituição Federal para instituir o divórcio instantâneo; PEC 277/2008, restrição no processo de educação familiar. Entre todos esses, o pior é o famigerado Estatuto das Famílias, PL 2285/2007, Autoria Dep. Sérgio Barradas Carneiro PT/BA que propõe a revisão e uma grande reforma em todo o sistema jurídico brasileiro sobre a família.

[10] Exemplos: Plano Nacional dos Direitos Humanos – PNDH-3, Decreto presidencial nº 7.037, de 21 de Dezembro de 2009; Projeto de Lei para instituição de um marco regulatório para a Internet que visa a controlar blogs, sites e todo o movimento na rede; Lei Caó (art. 20 da Lei 7.716/1989) contra a chamada intolerância religiosa; Estatuto da Igualdade Racial, PL 213/2003, do Senador Paulo Paim PT.

http://www.vinacc.org.br/

Não voto mais em Marina e digo por quê

Pior do que o ímpio é um cristão que dissimula. Eu queria entender como uma pessoa que se diz cristã, membro da Assembleia de Deus, afirma que se for eleita presidente do Brasil vai convocar um plebiscito para que o povo decida se aprova ou não o aborto, ou se aprova ou não o uso da maconha.

Marina precisa aprender com a ex-senadora Heloísa Helena, católica praticante e pertencente a um partido ultrarradical. Heloísa Helena declarou peremptoriamente: “Sou contra o aborto!” Na audiência pública da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, deu um verdadeiro show, não apenas à luz de questões religiosas, como também científicas. Ela mostrou a desgraça, a mazela, e uma das coisas que mais aborrecem a Deus: a força dos poderosos contra os indefesos.
Ao propor plebiscito, Marina está “jogando para a torcida”, para ficar bem com os que são contra e com os que são a favor. SAI DE CIMA DO MURO, MINHA IRMÃ! QUE PLEBISCITO COISA NENHUMA! O povo brasileiro não tem todas as informações necessárias para decidir esta questão de maneira isenta. Temos toda a mídia a favor dessa nojeira do aborto. Com certeza vão jogar pesado para influenciar.
Cultivar uma vida cristã significa ser radical. Radical contra o pecado, contra esse sistema mundano dirigido pelo diabo. Como diz a Bíblia, não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento (Romanos 12.2).
A palavra de Marina como cristã teria de ser apenas isto: “Sou contra o aborto e a legalização da maconha”. Como faltaram convicção e firmeza em suas declarações, uma vez que o cristão tem de “mostrar a cara” posicionando-se de forma categórica contra o pecado, Marina perdeu meu voto. Já que não tenho tantas opções, votarei em Serra para presidente.
Infelizmente, Marina não nega suas raízes petistas.

Silas Malafaia
Pastor
vitoriaemcristo.org


quarta-feira, 22 de setembro de 2010

CMCG aprova PL que concede a VINACC reconhecimento de utilidade pública

A Câmara Municipal de Campina Grande aprovou na manhã dessa terça-feira o Projeto de Lei nº 110, de 9 de agosto de 2010, de autoria do vereador Fernando Carvalho (PMDB), que reconhece a Visão Nacional para a Consciência Cristã – VINACC como sendo de utilidade pública municipal.
Segundo o vereador, esse reconhecimento traz benefício tanto para a VINACC, “pois através desse reconhecimento a entidade amplia seu acesso a outras instituições”, como também para toda a cidade de Campina Grande por ter em seu conjunto um evento como a Consciência Cristã.
A instituição realiza anualmente em Campina Grande - PB o Encontro Para a Consciência Cristã, no Complexo do Parque do Povo, centro da cidade.
O evento que atrai milhares de turístas do Brasil inteiro, tem como objetivos centrais, de acordo com os seus coordenadores: Exaltar a pessoa de Jesus Cristo; Edificar a Igreja; Defender os princípios da fé cristã e Propagar o Evangelho.
O autor do projeto ressaltou que conhecer de perto o trabalho da VINACC e a Consciência Cristã, inclusive, sendo um dos colaboradores mais antigos do Encontro, foi o que o motivou a criar esse PL, que já entra em vigor a partir de sua publicação.
Fernando Carvalho ainda enfatizou que o Encontro Para a Consciência Cristã é responsável por estimular a geração de emprego e renda na cidade, pois aquece o comércio em um período onde antes do evento a economia local sofria uma redução, pois o fluxo de pessoas na cidade era pequeno e não havia um evento como a Consciência Cristã que atrai não apenas os moradores da cidade, como também muitos visitantes.
Em março de 2011, entre os dias 2 e 8 de março, a VINACC realiza a 13ª edição da Consciência Cristã, que tem como tema “O Retorno ao Evangelho da Cruz”.
O evento é caracterizado por oferecer gratuitamente ao público uma gama de palestras e seminários que discutem temas de forte relevância não apenas no contexto Igreja, como também social em aspectos gerais, os quais são ministrados por especialistas no assunto. “Por isso, senhores parlamentares, nada mais justo e necessário do que prestar a devida e reconhecida homenagem à VINACC”, ressaltou o vereador.

Izabel Silva

A legalização do aborto no Brasil e o programa partidário do PT

Estamos vivendo o período eleitoral de 2010 onde grande parte da população brasileira não tem conhecimento de que as atuais eleições possuem regras novas no tocante a fidelidade partidária e a vinculação direta de seus candidatos aos programas partidária ao qual estão filiados.

Diante de tal fato, existem alguns partidos que por força do seu estatuto ou resoluções internas obrigam todos os parlamentares votar de acordo com a determinação do programa partidário definido pela executiva a seus filiados.

Assim, por força da Resolução nº 22.733/2008 do Tribunal Superiror Eleitoral, o candidato ao cargo político está vinculado obrigatoriamente aos programas e ideologias da sua agremiação partidária, ou seja, o candidato a senador ou deputado, por exemplo, está obrigado a votar segundo as idéias do seu programa partidário e o candidato a governador e presidente da república a dirigir o estado da mesma forma, repita-se.

Dessa forma, a idéia popular de que as pessoas votam em candidatos e suas consciências não é mais verdade. Não votamos mais em Candidatos, mas sim em Partidos Políticos, por força desta Resolução eleitoral, ou seja, o mandato pertence ao partido e não ao candidato eleito, apresentado na lista partidária aberta simplesmente.
Neste sentido temos visto que o Partido dos Trabalhadores - PT, o Partido Comunista Brasileiro PCB, o Partidos Socialista dos Trabalhadores Unificados - PSTU, O Partido Verde -PV e outros partidos fecharam questão sobre a defesa do aborto do Brasil.
Em razão desta posição tomada por estes partidos e outros, temos que a Candidata a presidente Marina Silva do PV, que pessoalmente diz ser contra o aborto, mas defende partidariamente que o aborto deve ser discutido via plebiscito (fazer uma votação com a população decidindo o tema), o que nós cão concordamos, pois a VIDA JAMAIS DEVE SER MOTIVO DE DISCUSSÃO, o aborto é algo inegociável.
O Candidato Serra do PSDB diz ser contra o aborto, mas ele quando esteve ministro da Saúde do governo do FHC em 1998, assinou a norma técnica para o SUS ( Sistema Único de Saúde) que disciplinou regras para realizar o aborto previsto em lei até o 5º mês de gravidez, entretanto o partido do PSDB deixou o tema livre para cada candidato votar este tema segundo a sua consciência.

A Candidata a presidente Dilma do PT anda dizendo nesta fase final de sua campanha que ela é contra o aborto e não apoiará a legalização no Brasil. Pura inverdade, pois o seu partido, sob o seu conhecimento e apoio, aprova AS POLÍTICAS DE LEGALIZAÇÃO DO ABORTO.

Zenóbio Fonseca

Dilma Rousseff, o Partido dos Trabalhadores e a discriminalização do aborto

Acabei de assistir um vídeo onde a candidata do PT a Presidência da República a Sra. Dilma Rousseff, juntamente com o seu partido político, defendem abertamente a discriminalização do aborto. (Veja o video: http://www.youtube.com/watch?v=4cJZZzWysN4&feature=player_embedded).
Confesso que somente em pensar na existência de pessoas que defendem um crime tão hediondo como este, sou tomado por uma enorme e substancial angústia. Sinceramente, não consigo imaginar, nem tampouco concordar com a defesa inescrupulosa de comportamentos deste tipo. Ora, a vida humana é um dom de Deus, e não há nada mais criminoso e mais anti-cristão do que o aborto. Afirmo sem a menor sombra de dúvidas que toda e qualquer tentativa de aborto afronta diretamente o Criador e Senhor de todas as coisas.

Isto posto pergunto: por acaso não foi a Dilma que afirmou publicamente que desejava ser a mãe do Brasil? Não foi ela que demonstrou o mais doce "espirito maternal" ao manifestar o desejo em cuidar da população brasileira de forma caridosa? Ué? Sinceramente eu não entendo isso. Confesso que tenho uma enorme dificuldade em compreender que tipo de mãe é essa que mata seus filhos?

Como bem afirma o artigo 3º da Declaração Universal dos Direitos do Homem : “todo o indivíduo tem direito à vida”. Pois é, como cristãos devemos nos comprometer com a vida e não com a morte!

Eu creio nisso!

Viva a vida!

Renato Vargens

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Paz, uma dádiva do céu

O mundo está em conflito. Enquanto erguemos monumentos À paz, investimos mais na guerra. Enquanto falamos da necessidade de paz, armamo-nos até aos dentes, preparando-nos para os mais encardidos combates. As tensões se agigantam entre as nações, dentro das famílias e até mesmo no sacrário da nossa alma. Somos uma guerra civil ambulante. O homem está em conflito com Deus, com seu próximo e consigo mesmo. A paz será sempre um sonho utópico até que reine o Príncipe da paz.
As Escrituras nos falam de paz com Deus e paz de Deus. A primeira é um estado, a segunda um sentimento. A paz de Deus nos fala de um relacionamento certo com Deus, fruto da reconciliação com ele, por meio de Cristo. A paz de Deus é fruto da paz com Deus e tem a ver com um sentimento de gozo inefável, que inunda a nossa alma, mesmo em meio aos vendavais da vida. Não há paz de Deus sem que primeiro se estabeleça a paz com Deus. A paz com Deus é a raiz, a paz de Deus é o fruto. A paz com Deus é a fonte e a paz de Deus é o fluxo que corre dessa fonte.

Mas, o que de fato é a paz com Deus? Ela é fruto da justificação, e justificação é um ato jurídico de Deus, declarando-nos inocentes e inculpáveis diante do seu tribunal, em virtude do sacrifício substitutivo de Cristo, em nosso favor e em nosso lugar. Mediante a justificação, ficamos quites com a lei de Deus e com a justiça divina, não pesando mais sobre nós nenhuma condenação. Nossos pecados não são imputados a nós, pois foram lançados sobre Jesus na cruz e toda a justiça de Cristo é transferida para o nossa conta, de tal maneira que somos justificados no tribunal de Deus. A justificação é um ato e não um processo; é feito no tribunal de Deus e não no nosso coração. Ela não tem graus, uma vez que todos os salvos são de igual forma justificados com base nos méritos de Cristo Jesus. Por isso, a paz com Deus é a mesma para todos os remidos. Nenhum salvo tem mais paz com Deus do que outro. Todos estão de igual forma reconciliados com Deus por meio de Cristo Jesus.

Já a paz de Deus difere de crente para crente. Nem todos os salvos a experimentam com a mesma intensidade. Ela não é um estado, mas um sentimento, fruto do nosso estreito relacionamento com Deus. Paulo diz que a falta dessa paz deixa o coração e a mente vulneráveis à ansiedade. A ansiedade é uma espécie de estrangulamento da alma, quando somos sufocados pelas tensões que chegam das circunstâncias, dos relacionamentos estremecidos e da preocupação com as coisas materiais. Quando buscamos a Deus em oração e o adoramos, dando graças por sua bondade, a ansiedade precisa bater em retirada e, a paz de Deus, como uma sentinela divina, passa a guardar nosso coração e a nossa mente em Cristo Jesus. A paz de Deus é uma fortaleza ao redor da nossa mente e do nosso coração, da nossa razão e dos nossos sentimentos. A paz de Deus é aquele descanso interior, em saber que Deus está no controle, que nossa vida está em suas mãos, mesmo quando as circunstâncias ao nosso redor estão tempestuosas. Não precisamos ser prisioneiros da ansiedade. Se já fomos reconciliados com Deus, já temos a paz com Deus, e agora, podemos experimentar a paz de Deus!

Pastor Hernandes Dias Lopes - http://www.hernandesdiaslopes.com.br/

Pr. Jorge Noda confirma participação na Consciência Cristã 2011

O pastor Jorge Issao Noda, da Igreja Cidade Viva, de João Pessoa - PB é um dos mais antigos preletores do Encontro para a Consciência Cristã e já confirma mais uma participação sua na próxima edição do evento, que será realizada entre os dias 2 e 8 de março de 2011, na cidade de Campina Grande, na Paraíba.
Jorge Noda é um dos mais antigos preletores do Encontro Para a Consciência Cristã, onde participa ministrando palestras e seminários. Em 2010, além de outros temas ele trabalhou o livro de Provérbios, fez uma análise teológica no livro “A Cabana”, e ainda abordou a mensagem do Apocalipse para hoje.
Na 13ª edição do evento, em 2011, o pastor Jorge Noda também estará ministrando seminários e palestras. Vale lembrar que qualquer participação na Consciência Cristã é inteiramente gratuita e aberta para o público em geral.
Jorge Noda é mestre em Teologia no Seminário Teológico em Jackson – MS – USA; Professor do Betel Brasileiro, escritor, pesquisador, conferencista e coordenador de estudos da Fundação Cidade Viva - PB, e um dos precursores da Consciência Cristã.
Izabel Silva -ascom VINACC

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Ricardo Bitum participa da 13ª Consciência Cristã

Restando pouco mais de seis meses para a realização da 13ª edição da Consciência Cristã, que vai acontecer de 2 a 8 de março de 2011, em Campina Grande, na Paraíba, a VINACC – Visão Nacional para a Consciência Cristã, órgão responsável por toda a organização e execução do evento já está fechando o quadro de preletores para o Encontro.
Entre os vários nomes de gabarito reconhecido nacionalmente no que diz respeito ao campo intelectual religioso estar o coordenador do TGI - Trabalho de Graduação Interdisciplinar da Universidade Presbiteriana Mackenzie de São Paulo, Ricardo Bitum.
O professor doutor Ricardo Bitum é bacharel em Teologia e Ciencias Sociais, mestre em Ciencias da Religião – Universidade Metodista de SP, doutor em Ciencias Sociais – PUC-SP, professor do Departamento de Pós Graduação em Ciencias da Religião na Universidade Presbiteriana Mackenzie e é pastor da Igreja Evangélica Manaim.
Ricardo Bitum será um dos preletores da 13ª Consciência Cristã. Ele estará ministrando seminários e pregando em uma das noites do XIII Encontro.
O Encontro para Consciência Cristã oferece ao seu público de forma gratuita uma gama de palestras e seminários com temas voltados para Igreja, além de debater assuntos atuais de relevância na sociedade, tudo a partir de um ponto de vista cristão.
O evento tem duração de sete dias e acontece no maior centro de eventos de Campina Grande, o Parque do povo, onde é montada uma grande estrutura, a Representação do Tabernáculo Bíblico, local onde são realizadas as sete concentrações noturnas que atrai milhares de pessoas a cada ano.


Voto em Dilma

O título é provocativo, mas como cristão e pastor jamais poderia votar em Dilma, pois o governo que ela faz parte e defende, tem atacado sistematicamente os valores cristãos da vida e da família. O governo que ela faz parte e defende tem defendido a descriminalização do aborto em todas as fases da gestação, tem defendido ardorosamente o movimento gay, inclusive o famigerado PLC 122/2006, que quer colocar na cadeia todos aqueles que se opuserem ao homossexualismo, tem se alinhado com os principais facínoras da atualidade, como o presidente do Irã, Líbia, Sudão e por aí vai, em cujos países o cristianismo tem sido perseguido sistematicamente. Tem trabalhado sistematicamente para minar as liberdades democráticas de nosso país, por intermédio do assim chamado “Plano Nacional de Direitos Humanos”, um eufemismo usado para defender o aborto, a união civil entre pessoas do mesmo sexo, a censura a imprensa, o embaraço a propriedade privada, entre outras questões. Para votar em Dilma é preciso desprezar todos esses pontos e não olhar para Bíblia, mas apenas para suas conveniências e paixões eleitorais. Infelizmente no Brasil hoje só temos candidatos de esquerda, uns um pouco mais, outros um poucos menos, contudo, Dilma esta situada entre aqueles que estão um pouco mais a esquerda.
A Igreja Evangélica quando não imiscui com partidos e candidatos – tornando-se massa de manobra, tem uma atitude tímida, distante e descolada da realidade e da necessidade da nosso país. Recentemente o pastor da Primeira Igreja Batista de Curitiba, Paschoal Piragine, contrariou esse dito, quando no púlpito da sua igreja alertou seus membros da responsabilidade de votar conscientemente nas próximas eleições, e como diríamos aqui no nordeste, dando nomes aos “bois” ao se referir aos projetos defendidos pelo PT, que se implementados desembocará no avanço da iniqüidade em nossa nação.

Fiquem na paz.
Pr. Euder Faber

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Um dos maiores físicos do Brasil confirma participação na 13ª Consciência Cristã

O Encontro para a Consciência Cristã a cada ano vem se superando no quesito nível de palestras e de preletores. Na última edição do evento o público pôde conferir uma gama de palestras que enfatizaram importantes assuntos que estão em evidência no cenário mundial atual, como o Criacionismo e Evolucionismo, que foi debatido pela maior autoridade no assunto do país, o professor físico Adauto Lourenço, da editora Fiel de São Paulo.
Para a 13ª edição da Consciência Cristã, que vai acontecer de 2 a 8 de março de 2011, em Campina Grande, na Paraíba, o físico já confirmou mais uma vez sua participação.
Na Consciência Cristã 2010, o professor Adauto ministrou seis palestras que enfatizavam a importância de se ensinar o Criacionismo. Segundo Adauto, Criacionismo é um tema que está relacionado com o conhecimento da ciência, “e a ciência é uma busca pela verdade”.
Ainda de acordo com o físico cristão, que desenvolve uma vasta pesquisa sobre o assunto, com livros publicados até fora do país, independente de ser ou não a verdade, o criacionismo é uma proposta cientifica a qual propõe que processos puramente naturais não trouxeram à existência a complexidade do que é a vida e o universo, “é papel da ciência ir atrás e verificar se isso é ou não verdade”, sugere.
No que se refere ao posicionamento e conhecimento da Igreja nos dias de hoje com relação a proposta criacionista e evolucionista, Adauto diz que a igreja, de uma maneira geral está ligeiramente confusa no meio de tudo, isso acontece, segundo ele, porque naturalmente “existe uma confusão entre ciência e religião”.
Adauto Lourenço é formado em Física pela Bob Jones University, USA e possui Mestrado pela Clemson University, USA. É conferencista internacional, tendo-se envolvido ativamente com o Criacionismo Científico e feito palestras em Igrejas, Conferências, Escolas e Universidades no Brasil, Portugal, Estados Unidos e África.

sábado, 4 de setembro de 2010

Alcoolismo, uma tragédia nacional

O alcoolismo é um dos mais graves problemas sociais do nosso país. Ele é responsável por mais de cinquenta por cento de todos os acidentes de trânsito, bem como de todos os assassinatos. As cadeias estão lotadas de seus protagonistas e os cemitérios cheios de suas vítimas. O álcool não é apenas um ladrão de cérebros, ele é também um destruidor do caráter. Há muitas vidas arruinadas por causa do alcoolismo. Há muitos casamentos desfeitos, muitos lares cobertos de opróbrio e muitos filhos machucados emocionalmente por causa dessa tragédia nacional. A Palavra de Deus trata desse assunto de forma objetiva em Provérbios 23.29-35. Destacaremos, aqui, quatro lições:

1. O alcoolismo é uma tragédia por causa de seus efeitos devastadores (Pv 23.29,30). A pergunta perturbadora que se faz ouvir é esta: “Para quem são os ais? Para quem, os pesares? Para quem, as rixas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem causa? E para quem, os olhos vermelhos? Para os que se demoram em beber vinho, para os que andam buscando bebida misturada”. A dependência da bebida alcoólica produz um sofrimento indescritível para a família. Uma pessoa prisioneira do vício da bebida alcoólica destrói sua reputação, sua autoestima, sua saúde e seus relacionamentos. Muitas brigas deixariam de existir se as pessoas não fossem cativas desse vício humilhante. Muitas paixões avassaladoras não empurrariam homens e mulheres para o abismo do adultério se as pessoas não fossem seduzidas pelos falsos encantos do álcool.

2. O alcoolismo é uma tragédia por causa de sua sedução traidora (Pv 23.31,32). O autor sagrado faz um alerta solene: “Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavamente. Pois ao cabo morderá como a cobra e picará como o basilisco”. A bebida alcoólica é sedutora. As propagandas mais elaboradas e mais glamorosas são de bebida alcoólica. Porém, o encanto da bebida alcoólica é uma farsa. Atrás de seu colorido fascinante há o veneno de uma víbora. Atrás de um copo resplandecente e espumante há uma alma prisioneria e uma família que agoniza. O veneno do álcool mata o corpo e a alma, destrói a saúde e a reputação, afasta o homem de Deus, de si mesmo e do seu próximo.

3. O alcoolismo é uma tragédia por causa das alterações que provoca em seus dependentes (Pv 23.33). O escritor sagrado é enfático: “Os teus olhos verão coisas esquisitas, e o teu coração falará perversidades”. O alcoolismo não é um estimulante, mas um depressivo. Ele interfere na capacidade de raciocínio, embassa a visão, rouba a lucidez e corrompe as atitudes. Uma pessoa alcoolizada perde o respeito próprio ao desandar a boca para falar perversidades. Há uma lenda que diz que uma pessoa alcoolizada passa por quatro estágios: Começa galanteador como um pavão. Depois torna-se valente como um leão. Em seguida chama a atenção para as suas peripécias como um macaco e termina na lama como um porco.

4. O alcoolismo é uma tragédia por causa da degradante dependência que produz (Pv 23.34,35). O escritor sagrado conclui: “Serás como o que se deita no alto do mastro e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando despertarei? Então, tornarei a beber”. O alcoolismo produz uma cruel solidão, como alguém que se deita no alto do mastro. Uma pessoa dependente do álcool torna-se alvo da agressão coletiva, um saco de pancadas, mas já não sente mais os esbarros que recebe. O mais grave, é que a despeito de tantos tormentos e desatinos, quando acorda desse torpor, volta a beber, pois está cativo pelas algemas desse vício mortal. Acautelemo-nos acerca desse vício tão devastador. Ele é uma tragédia nacional!

Pastor Hernandes Dias Lopes

Coordenador de Campanha contra Pornografia vai estar na 13ª Consciência Cristã

Assim como vem acontecendo em edições anteriores da Consciência Cristã, a VINACC – Visão Nacional para a Consciência Cristã realiza dentro da programação do evento um debate sobre Sexualidade Sadia.

Para 2011, a VINACC confirmou a presença do pastor da Igreja Assembléia de Deus, Cláudio Rufino, do Rio de Janeiro, que estará ministrando palestras durante a 13ª edição do Encontro para a Consciência Cristã, que será realizado entre os dias 2 e 8 de março de 2011, no Parque do Povo, centro de Campina Grande.

O pastor Cláudio há mais de 20 anos atua no Ministério de Evangelismo Estudantil. Em 1995 fundou a Missão Estudantil GREI e em 2005 iniciou o Projeto AMIGO Missionário. Formou-se em Teologia em 1991 e em Letras em 2004.

Cláudio Rufino já escreveu 9 livros, entre eles “Batalha contra a Pornografia” e já ministrou centenas de pregações, conferências e seminários no Brasil e outros 7 países (Portugal, Espanha, Inglaterra, Suíça, Áustria, Itália e Paraguai). Uma de suas mais recentes atividades é a Campanha Nacional contra a Pornografia, que teve início em 2007 e já realizou eventos em diversas regiões brasileiras

O pastor Cláudio participou pela primeira vez do Encontro para a Consciência Cristã em 2009, quando ministrou no 1º Encontro Sobre os Malefícios da Pornografia para a Sociedade.

Cerca de 90% não concordam com a lei que proíbe palmada

Uma proposta de lei assinada recentemente pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem causado muita polêmica no país, é a chamada lei da palmada, que altera o texto do Estatuto da Criança e do Adolescente.

A proposta do governo, que vai ser discutida agora na Câmara e no Senado, proíbe palmada, beliscão ou qualquer tipo de castigo físico que provoque dor em crianças e adolescentes.

Para saber a opinião pública com relação a essa lei, a VINACC – Visão Nacional para a Consciência Cristã lançou através de seu web site uma enquete com a seguinte pergunta: A Lei da Palmada é uma intromissão indevida do Estado Brasileiro no seio da família?

Ao contrário do que é muita gente pensa, essa lei se caso for aprovada não está sendo bem aceita pela maioria, pelo menos esse é o reflexo que os usuários do site da vinacc deixaram transparecer.

Os resultados foram os seguintes: 89% das pessoas acreditam que essa lei é uma intromissão sim do estado na família, apenas 6,2% não concordam com essa opinião. Entre os participantes da enquete 4,2% dos usuários do site tem dúvida quanto a real intenção da chamada Lei da Palmada.

Por Izabel Silva - redação VINACC

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Princípios da Adoração Reformada

A Confissão de Fé de Westminster, um dos mais valorizados Símbolos de Fé das igrejas reformadas, afirma, em seu capítulo vinte e um, que “o modo aceitável de adorar o verdadeiro Deus é instituído por Ele mesmo, e é tão limitado por sua própria vontade revelada, que ele não pode ser adorado segundo as imaginações e invenções dos homens, ou sugestões de Satanás, nem sob qualquer representação visível, ou de qualquer outro modo não prescrito nas Santas Escrituras”.
Temos aqui, de maneira bem instrutiva, alguns princípios que, se bem observados e compreendidos com a devida e indispensável iluminação do Espírito Santo de Deus, muito podem nos ajudar a prestar a Deus uma adoração adequada, compatível com a sua glória e majestade; e, sobretudo, em nítida harmonia com as Escrituras Sagradas, suficiente Revelação de Deus para as nossas vidas.
O primeiro princípio presente no aludido capítulo de nossa Confissão de Fé de Westminster é o que aponta para o fato de que Deus é digno de ser adorado; e, de igual modo, nos convoca, solenemente, para o adorarmos num culto público, juntamente com todo o seu povo; os que foram eleitos pelo Pai, redimidos pelo Filho e regenerados pelo poder do Espírito Santo.
Essa adoração pública, manifestada no culto público, é um dever e um privilégio de toda a igreja do Senhor Jesus Cristo. Dever, porque somos chamados por Deus para tal finalidade, não se constituindo, pois, numa opção a ser seguida ou não por nosso arbítrio. Privilégio, porque no culto público, como bem pontua o teólogo presbiteriano Hermisten Maia Pereira da Costa, nós respondemos à santa convocação feita pelo Senhor para o cultuarmos e o adorarmos, de modo amoroso, consciente, humilde, reverente e obediente ao Deus Todo-Poderoso.
Respondemos ao Senhor com as nossas orações e os nossos louvores e a nossa devoção em ouvir-lhe a Palavra; nela meditar com crescente seriedade, desejando ardentemente praticá-la, de modo a não nos tornarmos meros ouvintes, aumentando, dessa maneira, a nossa condenação, conforme bem adverte a inspirada Epístola de Tiago. Tal adoração pública, materializada, convém reiterar, no culto público, radica, primária e fundamentalmente, no ser de Deus e nos inúmeros e magníficos atributos de que ele se acha adornado.
E a razão para tal é que o culto é teocêntrico, não antropocêntrico; seu esteio seminal é Deus, não o homem. Na realidade, ao comparecermos ao culto, devemos fazê-lo primordialmente para adorarmos a Deus, e não para recebermos dele alguma coisa que ele queira bondosamente nos conceder. Óbvio que no culto expressamos a Deus as nossas petições e necessidades, mas elas não são nem devem ser jamais a razão central e a motivação maior de nossa resposta à convocação que Deus nos faz para que o cultuemos.
Assim, somos convocados para adorar a Deus pelo que ele é, primariamente, e, também, pelos seus poderosos feitos, pelo modo sábio, santo e soberano como ele governa a história, de maneira a dar pleno e cabal cumprimento a todos os seus perfeitos e eternos propósitos.

O segundo princípio exarado na parte da Confissão de Fé de Westminster, que discorre sobre o culto público e a adoração ao Senhor, é o que se ampara no fato de que Deus não somente nos convoca para adorá-lo como também nos fornece as diretrizes corretas para fazê-lo, não nos deixando entregues à formulação dos nossos próprios conceitos, ideias e imaginações. A adoração pública, na perspectiva reformada, como se vê, não está confinada nos limites ilimitados da subjetividade humana, daquilo que o homem julga digno de ser oferecido a Deus, com base, tão-somente, nos supostos méritos da sua sinceridade.

O parâmetro aqui é a Palavra do próprio Deus, suficiente e autoritativa para nós, não a nossa sinceridade e os nossos sentimentos, por mais verdadeiros que presumamos que eles sejam. Na verdade, nesse particular, é sempre oportuno termos em mente que o nosso coração é enganoso e desesperadamente corrupto, conforme a contundente sentença do profeta Jeremias.
Mesmo depois de regenerados, nosso coração, muitas vezes, insiste em forjar caminhos inteiramente desaprovados por Deus, principalmente os que dizem respeito à prática de cultos aculturados, humanistas, impregnados de invencionices humanas, as quais justificamos como sendo os únicos meios de nos tornarmos palatáveis à mentalidade pós-moderna vigente em nosso tempo.

Assim, pois, para não nos enredarmos em modalidades cúlticas engendradas e aprovadas por nós mesmos, sem o mais leve exame escriturístico, Deus nos instrui pela sua Palavra a lhe prestarmos uma adoração simples, racional, fervorosa e pautada por suas santas ordenanças. Matéria recente da Revista Época, de larga circulação nacional, diz que certa comunidade evangélica, portadora de tradição histórica, para se ver mais aceita e relevante no meio urbano em que está inserida, trocou a pregação por palestras, termo muito mais amigável, ilustrando-as, sempre que possível, com crônicas literárias de Luís Fernando Veríssimo e letras de canções de Chico Buarque de Holanda. Que tal?
O Deus que quer ser adorado por seu povo estabelece o modo correto de o homem fazê-lo: ouvindo reverentemente a sua Palavra, que deve ser lida e exposta com fidelidade; entoando salmos ou hinos e músicas cujas letras se harmonizem com o caráter de Deus e a sua majestade; orando a ele de conformidade com a sua Palavra. E nada disso exclui alegria, emoção, celebração, fervor. Pelo contrário, devemos cultuar a Deus da forma mais fervorosa possível, sem, no entanto, nos afastarmos dos princípios orientadores que emanam da sua santa Palavra.
O terceiro e último princípio depreendido do citado artigo da Confissão de Fé de Westminster deixa claro que Deus reprova o culto que se presta a ele à revelia do que preceitua a sua Palavra. Quem duvidar disso vá às Escrituras Sagradas e veja que nela há inúmeros exemplos de pessoas que resolveram deliberadamente fazer o que Deus lhes havia proibido, e, por isso mesmo, foram repreendidas pelo Senhor: Caim, Nadabe e Abiú, Arão, pressionado pelo povo, construindo um bezerro de ouro, dentre outros. Deus nos ajude e nos dê a graça de compreendermos e vivenciarmos uma adoração que se coadune com a sábia e santa prescrição das Escrituras Sagradas. SOLI DEO GLORIA NUNC ET SEMPER.

José Mário da Silva /Presbítero