Loading...

Páginas

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Programa Consciência Cristã em foco

Neste sábado, 03 de setembro, o programa exibirá a 5° parte da pregação “Revestimento de Poder” do Rev. Hernandes Dias Lopes e no quadro Informativo Consciência Cristã, trará matérias sobre o Programa Abençoando Campina, a Convenção da Assembléia de Deus de Madureira, Culto em ações de graças promovido pelo pastor Adeladio Guimarães e o comentário do Pastor Euder a respeito da opinião da procuradora Simone Andréa Barcelos Coutinho, de São Paulo, que diz que Estado Laico não pode ter bancada religiosa. Já no quadro de entrevistas que abordará a temática, “uma resposta ao filósofo Paulo Ghiraldelli”, o programa contará com a presença do entrevistado Rev. Renan de Oliveira, da Igreja Presbiteriana de Campina Grande.

A redação.

O caso Lula - Os Perigos do desconhecimento da Palavra de Deus

O ex-Presidente da República Federativa do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, sempre loquaz e temerário em seus pronunciamentos timbrados pelo selo do desplanejamento e da improvisação, voltou a fazer das suas. Num ato público, salvo engano em território baiano, embalado pela força crescente da sua impressionantemente crescente popularidade, Lula, numa ostensiva demonstração de desconhecimento da Palavra de Deus, atribuiu às elites gananciosas do país, palavras e conceitos que, na realidade, foram proferidos pelo Senhor Jesus Cristo, sendo encontrados nas inspiradas páginas do santo livro de Deus: a Bíblia Sagrada, mais precisamente nos relatos empreendidos pelos evangelistas acerca da vida e da obra do Filho de Deus.

Que palavras foram essas? Contextualizemos. Um jovem rico aproximou-se do Senhor Jesus Cristo e, aparentando ser portador de vivo interesse pelo destino eterno da sua alma, “perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?” (Lucas 18.18b). Jesus respondeu-lhe que observasse os mandamentos da lei de Deus e os cumprisse.

Pedofilia - A apoteose da prepotência mental

Tal como previ anos atrás – sendo por isso chamado de paranoico pela milésima vez –, a Associação Psiquiátrica Americana, atendendo à ruidosa exigência de grupos de pressão, está estudando seriamente a possibilidade de eliminar a pedofilia da sua lista de doenças mentais, como fez em 1973 com o homossexualismo (v.http://dailycaller.com/2011/08/15/conference-aims-to-normalize-pedophilia/?print=1).

Normalizada e legitimada pela "ciência", aquela conduta sexual especialmente abjeta será protegida pelas leis: quem quer que ouse erguer a voz contra ela será acusado de "discurso de ódio", exatamente como hoje acontece com aqueles que, sem nem mesmo condenar a prática homossexual em si, digam algo contra o movimento gay. O professor que tenha relações sexuais na escola com um aluno de oito, dez ou doze anos estará garantido pelo Estado, e os pais que se rebelarem contra essa brutalidade terão de curtir sua revolta em segredo, sem comentá-la nem mesmo com os vizinhos, por medo de serem denunciados à polícia.

Anarquia sexual: o legado de Kinsey

KinseyNossas crianças estão sob ataque de um inimigo pérfido e perigoso.

Em 17 de agosto de 2011, mais de 50 ativistas participaram de uma conferência para “indivíduos que sentem atração por menores de idade”, isto é, pedófilos. O propósito da conferência foi eliminar o “estigma” ligado à pedofilia e redefinir a pedofilia como “orientação sexual” normal. O Ministério da Justiça dos Estados Unidos apurou que 64 das vítimas de estupro anal violento são meninos com menos de 12 anos e que 58.200 crianças foram raptadas por indivíduos não parentes em 1999.

Os tão chamados “especialistas” no campo da sexualidade humana afirmam que as crianças são sexuais não só desde o nascimento, mas até mesmo no útero e são participantes voluntárias de atos sexuais com adultos.

Crianças são incentivadas a ter experiências sexuais cedo e muitas vezes e a se envolver sexualmente com membros do mesmo sexo bem como do sexo oposto. As doenças sexualmente transmissíveis entre adolescentes estão aumentando em proporções epidêmicas, e variedades novas e às vezes fatais de doenças estão sendo registradas. Mais de 50.000 adolescentes contraíram o HIV que avançou para AIDS total e já em 1992 mais de 7.000 meninos e 1.500 meninas morreram de HIV/AIDS.

Como foi que chegamos a esse ponto? Como é que podemos deter essa loucura antes que percamos uma geração inteira?

terça-feira, 26 de julho de 2011

Uma Análise da Igreja Evangélica

Uma Análise da Igreja Evangélica
Reproduzo aqui entrevista cedida ao blog Por Trás da Cortina algum tempo atrás, e que acabou sem muita divulgação. As perguntas trataram de vários aspectos da igreja evangélica brasileira. As respostas continuam relevantes, pelo menos no meu entendimento...

PTDC - A neo-ortodoxia já majoritária em nossos seminários? Isso já se reflete no comportamento e no pensamento do evangélico comum?


ANL - Eu não conheço a situação de todos os seminários evangélicos. Falando da minha denominação, a Igreja Presbiteriana do Brasil, não creio que a neo-ortodoxia seja majoritária em seus seminários. Pode acontecer que existam seminários de outras denominações, onde professores comprometidos com essa linha teológica formam mais e mais pastores a cada ano. Como resultado, existirá um reflexo cada vez maior, que é às vezes sentido de forma indireta, no comportamento evangélico, como por exemplo, uma visão mais aberta sobre a sexualidade.

Por Que Não Aceito os Evangelhos Apócrifos

Por Que Não Aceito os Evangelhos Apócrifos
Vamos iniciar perguntando o que é um “evangelho”. O termo é a tradução da palavra grega euaggelion, “boas novas”, usada a princípio para se referir ao conteúdo da mensagem de Jesus Cristo e dos seus apóstolos. Posteriormente, a palavra veio se referir a um gênero literário específico que nasceu com o Cristianismo no séc. I. Lembremos que o Cristianismo, em termos culturais, ocasionou o surgimento, não somente de novas músicas, mas também de gêneros literários como epístolas e evangelhos.


Esse novo gênero literário tinha algumas características distintas. Incluía obras escritas entre o séc. I e o séc. IV por autores cristãos que giravam em torno da pessoa de Cristo, sua obra e seus ensinamentos. Essas obras reivindicam autoria apostólica ou de alguma outra personagem conhecida da tradição cristã. Reivindicavam também que seu conteúdo remontava ao próprio Jesus.

Venezuela e Brasil: principais centros do Hezbollah na América Latina

Venezuela e Brasil: principais centros do Hezbollah na América Latina
Mais um "presente" do Foro de São Paulo ao Brasil e a toda América Latina: terroristas islâmicos espalhados por diversos países do continente.



Pelo menos umas 80 operações do grupo radical islâmico Hezbollah encontram-se ativas em 12 países da América Latina, especialmente na Venezuela e Brasil; um pequeno exército que poderia representar uma séria ameaça para a segurança dos Estados Unidos, advertem experts reunidos no Comitê de Segurança Nacional da Câmara Baixa.

Em uma audiência que reuniu congressistas com experts em terrorismo em Washington, foram expostas evidências e fotografias de líderes e ativistas vinculados ao Hezbollah, entre eles vários cidadãos árabes com nacionalidade venezuelana, que dirigem uma rede de recrutamento e treinamento para ataques terroristas, que entre outros lugares têm uma base operacional central na Ilha de Margarita. O painel integrado por quatro experts destacou os diversos aspectos da ameaça que poderia representar para os Estados Unidos, as atividades de radicais islâmicos apoiados pelo Irã na América Latina. Segundo Roger Noriega, ex-subsecretário de Estado para América Latina durante a administração Bush, Venezuela e Brasil são atualmente os países onde o Hezbollah se encontra mais ativo.