Loading...

Páginas

quinta-feira, 23 de junho de 2011

México tem lar para prostitutas idosas


Casa Xochiquetzal atualmente oferece refeições e acomodação a 23 mulheres.
No centro da Cidade do México, desde 2006 funciona um abrigo para prostitutas idosas, a Casa Xochiquetzal.
Enquanto novas, é fácil encontrá-las pelas ruas de La Merced, um dos principais pontos de prostituição da capital.
Cerca de 300 mulheres já passaram por aqui desde que a instituição abriu as portas, em 2006.

Gays têm um risco 20 vezes maior de contraírem HIV


Diretrizes da ONU sobre HIV ajudarão homossexuais e transexuais
Homens homossexuais têm um risco 20 vezes maior de serem infectados pelo vírus do que heterossexuais
Homossexuais e transexuais devem ter acesso igual aos programas de HIV/Aids, de acordo com as primeiras diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS) destinadas a pôr fim ao estigma que nega assistência de qualidade a muitas pessoas, disse a agência da Organização das Nações Unidas (ONU) na terça-feira.
 
A OMS também registrou evidências do aumento de infecções pelo HIV entre homens que fazem sexo com homens e entre pessoas que mudam de gênero, especialmente nos países ocidentais. Os dois grupos já são duramente atingidos pela epidemia de Aids, iniciada há 30 anos.

Mesmo com decisão do STF, casal gay tem união estável cancelada em Goiás

O casal Liorcino Mendes e Odílio Torres registrou a união estável em 9 de maio; casal vai ao Conselho Nacional de Justiça contestar decisão

O primeiro casal gay de Goiânia a registrar sua união depois da decisão de reconhecimento do STF (Supremo Tribunal Federal) perdeu o direito de permanecer em união estável. O juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública Municipal e Registros Públicos de Goiânia, Jeronymo Pedro Villas Boas, cancelou de ofício (ou seja, sem nenhum pedido) o contrato.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Lanna Holder- Mulheres homossexuais criam igreja evangélica no centro de SP



Lanna Holder (esquerda) e pastora Rosania Rocha fundam a Comunidade Cidade de Refúgio

Hoje na Folha Duas mulheres homossexuais abriram uma nova igreja evangélica, a Comunidade Cidade de Refúgio, no centro de São Paulo. A informação é da reportagem de Laura Capriglione publicada na edição desta quinta-feira da Folha.

Tentáculos do islamismo aos poucos envolvendo a Europa?



Embora a ideia de muçulmanos dominando Roma, conforme foi profetizado pelo profeta Maomé, possa parecer exagerada, a capital historicamente cristã da Itália é agora o local da maior mesquita da Europa. (Veja o vídeo da mesquita aqui: http://www.youtube.com/watch?v=4lx-6Yl0zx4)

Moschea di Roma, ou a Grande Mesquita de Roma, tem capacidade de acomodar 12 mil adoradores e é um símbolo poderoso da população muçulmana que não para de crescer na Itália.
Grandes mesquitas foram construídas ou estão em fase de planejamento para construção em praticamente todas as grandes cidades da Europa.

Durante séculos, os céus da cidade de Colônia, Alemanha, eram dominados por sua famosa catedral, a maior igreja gótica do norte da Europa. Mas logo essa elevada igreja terá nos céus da cidade a companhia dos elevados minaretes de 46 m de altura da mesquita de Colônia, que está sob construção.

Por unanimidade, STF aprova a realização da Marcha da Maconha


O STF (Supremo Tribunal Federal) liberou nesta quarta-feira a realização da Marcha da Maconha, evento que reúne, em diversas cidades brasileiras, pessoas favoráveis à legalização da droga.

Por unanimidade, os ministros afirmaram que a Justiça brasileira não pode interpretar o artigo 287 do Código Penal, que criminaliza a apologia de "fato criminoso [o uso da droga] ou de autor de crime [o usuário]", para proibir a realização de eventos públicos que defendem a legalização ou regulamentação da maconha.

Segundo o tribunal, quem defende a descriminalização da maconha está exercendo os direitos à liberdade de reunião e expressão, previstos na Constituição Federal.

Brasil vai ajudar a implementar o Bolsa Família no Irã



Ministros dos dois países se reuniram em Genebra para acertar os detalhes da iniciativa

O Brasil vai ajudar o Irã a implementar o Bolsa Família, programas equivalentes ao Brasil sem Miséria e programas de capacitação de trabalhadores. Em Genebra, os ministros dos dois países se reuniram, nesta terça-feira, 14, para acertar os detalhes da iniciativa, justamente em um momento em que o Irã começa a sentir o maior impacto do embargo econômico e comercial que lhe é imposto pela ONU.

Em Teerã, diplomatas confirmaram ao Estado que um dos temores do regime é de que crise social alimente ainda mais a tensão e pressione por uma queda do atual regime. Na Tunísia e Egito, governos que se mantinham no poder há décadas só foram derrubados quando a situação social de milhões de pessoas sem trabalho ficou insustentável. Os iranianos querem evitar a repetição desse cenário. Abdolreza Sheikholeslami, ministro do Trabalho do Irã, indicou que seu governo quer criar 2,3 milhões de postos de trabalho no País até 2012. Para isso, quer a ajuda dos programas sociais brasileiros e de treinamento.

Sete mitos e mentiras sobre a legalização das drogas



Se todos os crimes fossem legalizados, no dia seguinte a criminalidade formal estaria extinta, mas os efeitos maléficos do crime na sociedade não só continuariam a existir, como, muito provavelmente, subiriam a níveis estratosféricos.

1- A legalização das drogas acabará com o comércio ilegal de drogas.

É estúpido achar que um "comerciante" que já é competitivo em um mercado sem regras não o seria em um mercado regulado. Com o mercado legalizado e regulado, muito provavelmente o comercio legal teria vários limites e padrões impostos por órgãos da burocracia governamental, e a "droga legal" seria muito mais cara do que a ilegal, da mesma forma como o tênis vendido em loja é muito mais caro do que o pirata vendido em camelô.

Nenhuma rendição na defesa do casamento verdadeiro



(Breakpoint.org/Notícias Pró-Família) - Os promotores do tão chamado "casamento" de mesmo sexo muitas vezes argumentam que o casamento de mesmo sexo é inevitável e que legalizar essas uniões, não importa por qual meio, representa a colocação em lei da opinião popular.

Digo "não importa por qual meio" por causa da verdade inconveniente de que toda vez que a questão foi colocada para votação, o tão chamado "casamento" de mesmo sexo perdeu. Até agora 31 estados dos Estados Unidos votaram em favor do casamento tradicional. O argumento da inevitabilidade tem a real pretensão de dar aos juízes, inclusive o Supremo Tribunal, a desculpa de impor por decreto o que os eleitores rejeitaram explicitamente.

Com essa finalidade, podemos esperar que os promotores do "casamento" gay façam propaganda exagerada de qualquer evidência, por mais fajuta que seja, de que as pessoas se resignaram ao "inevitável".
Pelo jeito, aconteceu exatamente isso algumas semanas atrás com meu bom amigo Jim Daly da organização evangélica Focus on the Family. Ele foi entrevistado pela revista World, e em determinado momento perguntaram para Daly acerca do "casamento" e a igreja. Ele contrastou o sucesso do movimento pró-vida entre os jovens com a falta de sucesso que os defensores do casamento tradicional têm tido com os jovens. Ele disse: "Provavelmente, perdemos nisso".

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Silas Malafaia, ditadura gay e desunião cristã

Sete deputados estaduais evangélicos aprovam lei gay no Rio, inclusive irmão de Silas Malafaia e filho de R.R. Soares.

Mesmo longe do Brasil, eu estava acompanhando emocionadamente a marcha cristã de 1 de junho contra o PLC 122. A manifestação, que ocorreu na frente do Congresso Nacional em Brasília e foi liderada pelo Pr. Silas Malafaia, merecia a total atenção de todos os cristãos.

Estando no exterior, não tenho acesso às redes de televisão do Brasil, a não ser pela internet. Assim sendo, visitei sites de emissoras evangélicas às 15h, horário do início do evento, mas não vi nenhuma delas dando cobertura.
Numa televisão evangélica de Brasília, tudo o que pude ver foi a pregação de uma pastora…

Socorro, o pastor me traiu!


Há pouco ouvi uma história por parte de um amigo querido que me confessou que estava profundamente magoado com o seu pastor, isto porque, o segredo por ele contado no gabinete pastoral foi compartilhado com muitos outros irmãos através do pulpito da igreja.

Pois é, o meu amigo ao abrir o coração comigo chorou compulsivamente compartilhando com muitas lágrimas a dor de ter se sentido traído.

Caro leitor, lamentavelmente não são poucos aqueles que ao longo dos anos tem sofrido nas mãos de pastores despreparados, que movidos por sentimentos mesquinhos não conseguem guardar no coração os segredos a eles compartilhados. Na verdade, ouso afirmar que boa parte dos pastores não possuem maturidade emocional suficiente para lidar com determinadas situações, o que invariavelmente os levam a compartilhar com outros aquilo que não deveria jamais ser compartilhado.

A Igreja em Adoração


Eterno Deus, teu povo congregado,
Humilde entoa teu louvor aqui!
No dia para o culto reservado,
Com esperança olhamos para ti.
Teu santo livro, ó grande Deus, tomamos
Com fé singela e reverente amor;
E, como atentos filhos, procurarmos
Ciência na Palavra do Senhor.
Jesus! Aos teus benditos pés sentados
Queremos teu conselho receber,
E sendo por ti mesmo doutrinados,
De mais em mais na santa fé crescer.
Do mundo descansar em ti, Senhor,
Mirando os ricos bens entesourados
Na plenitude do teu vasto amor.
Ensina aos teus, Espírito divino,
Dissipa as trevas destes corações;
E com a luz do teu celeste ensino
Vem aclarar as santas instruções.
Aviva em nós as forças da memória,
Pois sempre mais queremos conhecer
O Rei dos céus, o Cristo cuja glória
Enleva os santos anjos do prazer. Amém.
(S. P. Kalley)


Homofobia ou ditadura gay?


A palavra homofobia está na moda. No mundo inteiro discute-se a questão do homossexualismo. Aqui no Brasil, tramita no congresso um projeto de lei (PL 122/2006), que visa a criminalização daqueles que se posicionarem contra a prática homossexual e pleiteia a reclusão de cinco anos, em regime fechado, para quem se posicionar publicamente contra o homossexualismo. Diante desse fato, quero propor algumas reflexões:

Em primeiro lugar, esse projeto de lei fere o mais sagrado dos direitos, que é a liberdade de consciência. Que os homossexuais têm direito garantido por lei de adotarem para si o estilo de vida que quiserem e fazer suas escolhas sexuais, ninguém questiona. O que não é cabível é nos obrigar, por força de lei, concordar com essa prática. Se os homossexuais têm liberdade de fazer suas escolhas, os heterossexuais têm o sagrado direito de pensar diferente, de serem diferentes e de expressarem livremente o seu posicionamento.